Associados se posicionam sobre seus mercados


Na última assembleia do ConstruSete (C7), realizada no dia 19 de junho, parte dos associados compareceu presencialmente na sede do ConstruSete, em Assis, e outros participaram por videoconferência.

O primeiro assunto tratado foi o cenário que cada lojista está vivendo em sua região, como está o faturamento e as principais estratégias adotadas.

Com algumas exceções, as lojas tiveram um bom mês de maio em termos de faturamento, sendo que uma das estratégias citada pela maioria tem sido a manutenção de um estoque equilibrado. “Muitos dos concorrentes não estão conseguindo se manter no mercado, fazer compras por dificuldades financeiras junto às empresas e isso não está acontecendo com as nossas lojas, que felizmente estão com mais condições nesse momento de extraírem resultados melhores”, acredita o gestor do C7, Marcos Biondi.

Na sua percepção, as lojas voltaram a se abastecer e estão se portando bem frente ao cenário atual por vários motivos, entre eles, a história que já construíram em seus mercados. A grande questão é seguir com segurança, sem entender e enxergar o que vai acontecer. Todos estão no escuro!

“O problema é que estamos hoje sujeitos não só a uma boa gestão e no que está influindo na gestão das lojas, mas também a fatores externos, os quais não temos domínio – economia nacional e mundial, cadeia produtiva, comportamento do consumidor frente à pandemia – e essas questões podem atingir diretamente nosso negócio”, afirma Biondi.

Já as indústrias, em sua opinião, têm passado um sentimento de desafio enorme, porque estavam registrando queda nas vendas e retomando a produção. “É bem difícil manter uma linha de produção funcionando sem ter como projetar o mercado”, avalia Biondi.

24 visualizações