Palestra de abertura do Circuito teve excelente repercussão


“Repensem suas referências, seus modelos de gestão, seus concorrentes, seus modelos de inovação, suas crenças e verdades!”



A escolha do tema e do palestrante para a abertura do 9º Circuito de Negócios 2020, no dia 17 de agosto/2020, está repercutindo até hoje no canal do Youtube do ConstruSete, chegando perto de 800 visualizações. “Fazer esse evento aberto foi uma estratégia interessante, porque colocou o C7 em evidência nesse canal e conseguimos gerar essa percepção dentro do mercado”, aponta o gestor Marcos Biondi.

Foi convidado para abrir o Circuito o sócio da BTR – Educação e Consultoria, Eduardo Terra, presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, para falar sobre “O Futuro do Varejo Pós Covid-19”.

Para Eduardo Terra, o primeiro passo é entender o novo consumidor, para não errar.

“O primeiro exemplo de quem faz isso bem chama-se Amazon”, afirmou, acrescentando que a “Covid 19 fez com que 5 anos fossem acelerados para 5 meses” e que a sensação é de que os clientes estão andando mais rápido que as empresas.

Para acompanhar e não perder o ritmo, ele aconselhou os lojistas a não perderem de vista a evolução do smartfone, apontando que, segundo dados do Google, as pessoas acessam

150 vezes o celular em média por dia.

Terra também disse que não existe nenhum indício de desaparecer a loja física, mas o que veremos cada vez mais é uma loja digitalizada, com menos atrito, o que significa dizer: atendimento simples, rápido, sem filas, com boa experiência de compra.

Observou que a loja física e e-commerce devem andar juntos.

O momento exige agilidade e sobre isso Terra citou que o fracasso e a invenção são gêmeos inseparáveis; por isso, é fundamental: “errou, corrige rápido e siga em frente.

Não é o mais forte e nem o mais inteligente que sobrevive, mas o que se adapta mais fácil”.


Perspectivas

Na data da palestra (17/8), três cenários foram traçados pelo especialista em varejo, com base no Auxílio Emergencial:


1- Zero continuidade do Auxílio Emergencial: mercado caminha para um cenário ruim, com o segundo semestre de fato difícil.


2- Redução pela metade da faixa paga hoje: varejo terá um segundo semestre bom.

(O presidente Jair Bolsonaro anunciou no dia 1º de setembro/2020 uma nova prorrogação do auxílio. O programa agora vai até dezembro, com quatro novas parcelas confirmadas no valor de R$ 300).


3- Manutenção do Auxílio nos patamares atuais: segundo semestre quase que espetacular. Porém, ele não acreditava muito nessa opção pelo governo. “A segunda possibilidade é mais real”, disse.


Hoje, 41% das famílias brasileiras estão recebendo R$ 881,00 em média de auxílio emergencial. São mais de 60 milhões de brasileiros recebendo o benefício.

9 visualizações