top of page

Mercado competitivo exige boas parcerias

A questão é: cada uma das partes é para o seu parceiro o parceiro que gostaria de ter ao seu lado?


Se não for uma via de mão dupla, o termo “parceria” é pura formalidade. Todo relacionamento bom e saudável é aquele em que ambos estão no mesmo nível de entrega. A troca tem que ser mútua e proporcional!

O Grupo ConstruSete (C7), em busca do crescimento, tem procurado fechar boas parcerias, especialmente porque o mercado se apresenta cada vez mais competitivo. “Inclusive, esse tema tem sido muito cobrado e discutido entre os lojistas associados, em nossas assembleias. Temos amadurecido bastante nesse ponto e é real o nosso compromisso de trabalharmos da melhor forma possível com nossos parceiros”, afirma o presidente do C7, Márcio Mainente Martins, da Desfran, de Presidente Venceslau/SP.

O Grupo C7 conta hoje com mais de 60 fornecedores parceiros, das mais diversas categorias no ramo de materiais para construção. No geral, os resultados são muito satisfatórios – todos sabem que é a partir do bom relacionamento que são viabilizados os projetos, que conduzem a todos aos melhores resultados. Um ganho para todos os envolvidos – consumidor, lojas associadas e fornecedores.

Segundo o presidente do C7, existe um cuidado grande na escolha dos fornecedores que seguirão com o grupo. “Além de serem marcas bem posicionadas no mercado, precisam realizar um trabalho em conjunto com o ConstruSete. Todos passam pela aprovação da assembleia, sendo que o voto da maioria é a credencial para se tornar um parceiro. Em contrapartida, oferecemos a possibilidade de a marca estar presente na maioria das lojas, e não só isso, mas ter uma loja comprometida e focada em seus produtos”, reforça Márcio Mainente.

A partir daí, é trabalhar em conjunto para obter os resultados esperados por ambos, mantendo uma relação saudável, de amizade e de negócios.

97 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page