Loja mais antiga do ConstruSete comemora 80 anos

A Casa Ferro completou em março/2022, oito décadas de uma história de trabalho e competência. A empresa nasceu em 1942, como um pequeno armazém, e hoje reúne três lojas de material para construção, instaladas em Dois Córregos, São Carlos e Matão, todas no estado de São Paulo


Quem sabe contar bem a história do conglomerado é Renan Ferro (75), que passou a trabalhar no negócio em 1968 e, aos poucos, foi transformando o armazém aberto pelo pai, numa loja que vendia de tudo.

A ousadia já fazia parte do perfil do jovem Renan, que já era formado em Direito e decidiu cursar também Odontologia. “Mas tive que parar com a segunda faculdade para tomar conta da loja. Lembro que logo no início fui para Criciúma/SC, visitar indústrias e fui abrindo portas para outros segmentos. A inflação era muito alta e facilitava fazer algumas ‘jogadas’. Foi uma época em que aproveitei muito as oportunidades”, conta.

Aos poucos a loja foi ganhando novos ares, novo layout, um perfil mais moderno, com mesas de atendimento ao invés de balcão, e um amplo mix de produtos. Tudo estava indo muito bem e chegou a abrir sete lojas – além de Dois Córregos, em São José do Rio Preto, Bauru, Botucatu, Ibitinga, Matão e São Carlos. “Montamos um sistema de rádio para facilitar a comunicação entre as lojas e, aparentemente, estava tudo certo, até o dia em que percebi que estava perdendo o controle da gestão, com uma loja tendo que subsidiar a outra, porque ficava muito na mão de funcionários, e optamos por fechar quatro lojas, ficando só com as de Dois Córregos, Matão e São Carlos, todas com prédio próprio”.

Quando olha para trás, Renan fica satisfeito com os resultados, porque se sente novo ainda e conseguiu fazer um bom alicerce. Mas nada é melhor que o orgulho de ver os dois filhos – Ana Carolina e Renato Ferro – assumindo os negócios. “Quando você percebe que não tem um sucessor, bate um desânimo”, comenta, acrescentando que felizmente viu que o Renato tinha perfil para a administração e a filha talento para o design. “Continuo vivendo a rotina da loja, mas deixo muito nas mãos deles. Às vezes, preciso intervir e dar um spoiler em alguma decisão que estão prestes a tomar, porque já assisti a esse filme antes e sei que o mocinho morre no final”, brinca.


524 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo